sexta-feira, 26 de março de 2010

Velocidades e lentidões sob o efeito da pressa

Todo indivíduo encontra-se em permanente modificação, pois os corpos que o constituem estão sempre em relações com outros corpos em diferentes modulações de movimento e repouso, segundo Spinoza, ou de velocidades e lentidões, como prefere dizer Deleuze. É pela velocidade e lentidão que os corpos deslizam entre si mundo afora, afetando e sendo afetados, se individuando no desenrolar de modos de existência. Isso nos permite pensar, seguindo Simondon, que talvez antes de assumirmos uma modulação de indivíduo, nós sejamos um bloco pré-individual, entre outros, constituído por uma composição de velocidades e de lentidões num plano de imanência. Daí a importância de uma investigação também permanente acerca das velocidades e seus efeitos em nós nos dias de hoje. Este tema, o das velocidades, é objeto de pesquisa de Virilio por muitos anos, através da dromologia, ou o estudo dos efeitos da aceleração da velocidade na sociedade. O receio de Virilio seria o de que a aceleração da velocidade na sociedade nos levasse a experimentar a vertigem da instantaneidade nas relações, o que já nos é possível na contemporaneidade. Penso que a pressa pode ser vista como um dentre os possíveis vetores de aceleração intervindo na relação espaço-temporal de deslizamento de nossas velocidades e lentidões. Velocidades são de uma multiplicidade difícil de se cartografar, podendo haver velocidades lentas e rápidas, mas em quaisquer circunstâncias a pressa continua sendo, no meu entendimento, a inimiga das velocidades, lentas e rápidas.

3 comentários:

Manuel Carreiro disse...

Obrigado pelas dicas valiosas, rapaz!

Já vou anotar o "Virilo" aqui!

Fernando disse...

Bom post Rogério. Dá a referência do Virilio sobre esse tema aí por favor. Abraço!

rfelipe disse...

Manuel, Fernando e possíveis outros interessados:

Para a discussão sucinta deste post trabalhei com as seguintes obras de Virilio:
• VIRILIO, P. (2000). Estratégia da decepção. São Paulo: Estação Liberdade.
• __________. (1998) A bomba informática. São Paulo: Estação Liberdade.
• ___________.(1996). Speed pollution. Wired Magazine.(Issue 4.05).Disponível em: <
• http://www.wired.com/wired/archive/4.05/virilio_pr.html> Acesso em 29/11/2006.
• __________. (1996). Velocidade e política. São Paulo: Estação Liberdade.
• __________ . (1993). O espaço crítico: E as perspectivas do tempo real. Rio de Janeiro: 34.
• __________ . (1984). Guerra Pura: A militarização do cotidiano. São Paulo: Brasiliense.
• __________. (1984) A guerra pura. A militarização do cotidiano. São Paulo: Editora Brasiliense.

Há muito mais sobre a vida e publicações deste autor em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Paul_Virilio

Abraços e obrigado pela visita.