terça-feira, 24 de novembro de 2009

Os urgentes desafios do comum...


Os urgentes desafios do comum... de que modos criarmos o comum, espaço fértil às conexões entre heterogêneos, lugar de militâncias ditas menores, do micropolítico que sorrateiramente empurra o macropolítico. O que está em jogo nos dias de hoje é o “como viver junto”, inspirado nesta colocação de Barthes, mas levando-a a outros cantos. E assim nos embrenharmos em meio aos acontecimentos lá onde eles de fato acontecem, não acontecem, estão para acontecer... eis o campo propício a intervenções!

3 comentários:

André Valença disse...

Venho percebendo como você vem aperfeiçoando-se nas tecnicas do Paint...
abraço!

Dioniso disse...

Viver juntos sem qualquer pressuposto de gregarismo. Viver juntos por emulação, não por união. Viver juntos por puro desinteresse amigo, não por cálculo demográfico-político.
Um grande desafio sabermos viver juntos sem anularmos o bom eremita que há em nós.
Abraço

rfelipe disse...

André: É isso mesmo, cansei um pouco de imagens "furtadas" e comecei a produzir estas anomalias, hehehe... viva o action paint! Abraço!

Dioniso: sim, longa vida ao eremita que nos atravessa, o desafio da solidão solidária de que no fala Luc-Ferry, a solidão a dois do encontro Nietzsche-Spinoza... e por aí vamos! Abraço!